Postado em 18 de julho de 2022

65 anos de história...

Autor(a): Roberto Camilo Órfão Morais

 Esse mês, ocorreram comemorações dos 65 anos de existência do Instituto Federal Sul de Minas- Campus Machado - uma história de muitas realizações e conquistas, às quais se confundem com os grandes acontecimentos nacionais e, com as definições das Políticas Educacionais.

Nesse sentido podemos apresentar, sucintamente, 5 momentos fundantes na História do IF - Campus Machado:

Primeiro Momento: criação da escola - a qual foi inaugurada oficialmente em 3 de julho de 1957, como Escola de Iniciação Agrícola. Esta criação vinculada está à chamada Lei orgânica do Ensino Agrícola. Situava-se em um projeto de industrialização do Brasil, um projeto Nacional no qual trazia para o Ensino Agrícola, nova orientação: a da Tecnificação de Produção.

Segundo Momento: década de 1970 e, início dos anos de 1980 - as escolas passaram a ter um estreito vínculo com as Grandes Empresas. Condizente ao Modelo Desenvolvimentista (Milagre Econômico), então década de 1970. As escolas procuraram ajustar-se às demandas voltadas ao Desenvolvimento de Tecnologias Agrícolas. Destacando como exemplo local, fato relatado em reportagem na Folha Machadense - outubro de 1982: registrou-se a presença na Escola, supra citada, do gerente de relações governamentais da Monsanto, na entrega de equipamentos para fins didáticos. Tempos da Revolução Verde e, do Modelo-Escola Fazenda.

Terceiro Momento: anos 1990 - com a Reforma da Educação Profissional, orientada pela concepção de Estado Neoliberal, “mínimo” para os problemas sociais e, forte para os direitos privados, conquistados pela competição entre desiguais. A “Qualidade Total em Educação”, passa visar à preparação de profissionais em atender às demandas da globalização. Nesse momento, situa-se a criação da FADEMA (Fundação de Apoio Desenvolvimento e Ensino de Machado), atuando como Terceiro Setor, em capitação de recursos e, implantação de diferentes ações; já que haviam limitações orçamentárias, por parte do Governo Federal ao repasse às Escolas Agrotécnicas Federais. Como destaque, salienta-se a referência norteadora desse momento: criação de um ‘Sistema de Educação Profissional Independente da Educação Regular’, paralelo à separação formal do então Ensino técnico de Educação Básica.

Quarto Momento: a partir dos anos de 2003 - com a expansão da Rede Federal, destaca-se um salto de 138 escolas para 252 unidades, com o expressivo aumento de 82,60%, em relação às escolas que haviam sido criadas durante 100 anos de existência. A referência norteadora desse momento é a transformação das Escolas Agrotécnicas em Institutos Federais, numa perspectiva de integração da Educação Profissional com Ensino Médio. A Escola de Machado passou, nesse período, por crescimento significativo: criação de novos cursos e, a construção de novas estruturas físicas.

Quinto Momento: estamos o vivenciando - grandes turbulências nacionais, encruzilhada histórica marcada por uma verdadeira mudança de época. Os atuais gestores políticos do Ministério da Educação, se mostram, incapazes de implantarem diretrizes nacionais para os Institutos Federais, nesta extensão continental, que é nosso país. Por sua vez, os Institutos Federais, em cada regionalidade, resistem a tantas dificuldades, mesmos que limitados a um debate e articulação, através das organizações dos próprios dirigentes das escolas federais que, por natureza organizacional são corporativistas!

Para enfrentar os desafios atuais é de fundamental importância que os Institutos Federais estejam vinculados num Projeto Nacional de Desenvolvimento; pois que, a Educação configura-se, verdadeiramente e coerente na práxis de uma política pública especial – Direito Fundamental da Pessoa Humana e, um Bem Essencial ao Desenvolvimento de uma Nação Civilizada!

Paralelo a esse pressupostos, os Institutos Federais, devem estar em estreita relação com o conjunto de toda a Sociedade Civil, tendo o Trabalho, como Princípio Educativo, na construção do desenvolvimento da consciência, ciência e tecnologia.

Em particular, o Campus Machado, deve continuar, na integração regional, exitosa nos últimos 8 anos de gestão, onde foram realizadas relevantes obras físicas - pedagógicas. Avançar em sua Missão Institucional, contribuindo com o desenvolvimento regional, visando atender à diferentes e Legitimas demandas Sociais. Atuar numa perspectiva pluralista de convivência com diferente, pois que, a Educação como princípio, não impõe modelos, mas propõe uma formação. A educação expande melhores possibilidades ao serviço do desenvolvimento pessoal e comunitário.

Nesse período de celebração dos 65 anos de nossa Escola - patrimônio público de todos os brasileiros, possamos olhar nossa História e, ter a Consciência de Ser o que Somos, para Ser o que devemos Ser.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Alfenas Hoje

Roberto Camilo Órfão Morais
Professor
Professor de Ciências Humanas do Instituto Federal Sul de Minas - Campus Machado.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa

Estou de acordo