Postado em domingo, 2 de outubro de 2016

Luizinho é eleito prefeito de Alfenas com 2,7 mil votos à frente do 2˚ colocado

 Alessandro Emergente

O petista Luiz Antônio da Silva (Luizinho) voltará a comandar a prefeitura de Alfenas a partir de janeiro de 2017. O petista foi eleito com 17.596 votos (41,09%), abrindo 2,7 mil votos à frente do segundo colocado, Antônio Munhoz Leite (Toninho Munhoz/DEM), que teve 14.896 votos (34,78%).

O terceiro colocado foi o candidato do PSB, Marcos Eduardo de Andrade (Dr. Marcos Eduardo/PSB), que obteve 6.726 votos (15,71%). O peesebista foi o que mais arrecadou recursos para campanha eleitoral deste ano, segundo dados declarados ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

O atual presidente da Câmara Municipal, Enéias Rezende, candidato a prefeito pelo PRTB, obteve 2.997 votos (7%), enquanto que Marcela Rufato (Professora Marcela/PSOL) conquistou 609 votos (1,42%).

Dos 58.576 eleitores aptos a votar, 11.993 (20,47%) não foram as urnas. Os votos brancos somaram 1.332 (2,86%), enquanto que os nulos chegaram a 2.427 (5,21%).

Pesquisa MDA

A votação alcançada pelo prefeito eleito é semelhante a revelada pelo levantamento feito pela MDA/Pesquisa, divulgado no sábado pelo Alfenas Hoje. A pesquisa havia apontado a tendência de vitória do petista com 40% dos votos válidos e o candidato do DEM na segunda colocação. 

Porém, a pesquisa feita pela MDA apontava uma vantagem de 20% em relação a Toninho Munhoz, o que não correspondeu ao resultado das urnas. O democrata, apoiado pelo atual governo, obteve 34% da preferência do eleitor.

Retorno

Luizinho retorna a prefeitura de Alfenas após quatro anos. Em 2012, numa eleição polarizada, Maurílio Peloso (PDT) venceu as eleições, encerrando o ciclo de oito anos de poder do PT, que agora retorna ao comando da prefeitura. 


Foto: Felipe Bruno

Logo após o resultado oficial, Luizinho, ao lado de Eliacim, é festejado por militantes em frente o Diretório Municipal do PT - Foto: Felipe Bruno

A candidatura de Luizinho começou a ser “costurada” nos bastidores e junto à base partidária já em 2012, logo após a derrota. Os petistas viam o ex-prefeito como candidato natural para 2016, desbancando, inclusive, outro ex-prefeito e então deputado estadual, Pompilio Canavez, hoje no PCdoB.

Em 2014, Pompilio acabou não conseguindo ser reeleito deputado estadual numa eleição em que Dr. Marcos Eduardo obteve mais de 19 mil votos. Inicialmente, apontado como possível candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Luizinho, Dr. Marcos distanciou-se dos petistas e lançou-se candidato. 

 

A caminho do vice

A expectativa do nome de Dr. Marcos Eduardo como candidato a vice-prefeito foi após receber apoio político de grupos de lideranças ligadas a Luizinho durante a campanha eleitoral de 2014.

Outros nomes também foram cogitados como possíveis candidatos a vice na chapa petista. Entre eles, Enéias e Evanílson Pereira de Andrade (Ratinho/PHS), que acabaram formando uma chapa para disputa das eleições para prefeito e vice, respectivamente. 

A partir daí, ficou acordado politicamente que o vice da chapa sairia do PMDB e vários nomes chegaram a ser colocados como opções. As negociações não avançaram e a direção local do PMDB decidiu apoiar a candidatura de Dr. Marcos Eduardo. Porém, liberou seus candidatos a escolherem quem apoiar. Isso porque grande parte dos peemedebistas preferiam a candidatura do PT. 

A partir do rompimento com o PMDB, Luizinho fez o convite formal ao ex-presidente da Câmara Municipal, Eliacim do Carmo Lourenço (PCdoB), eleito três vezes vereador pelo PT, que aceitou. A ideia foi articulada nos bastidores pelo professor Paulo Roberto Terra, filiado ao PT e um dos principais conselheiros de Luizinho. Ele é professor de história no Colégio Atenas, juntamente com Eliacim. 

O perfil de Eliacim era visto como ideal para compor a chapa. Com trajetória política de esquerda, porém com perfil mais moderado, o futuro vice-prefeito tem boa aceitação na classe média e não oferecia pontos significativos de ataques políticos. Mas o acordo com o PMDB, que tinha a preferência para indicar o vice, era um impedimento.

Retomada de "governo de esquerda"

Luizinho retorna a prefeitura de Alfenas a partir de janeiro e a expectativa é que retome um “governo de esquerda”, retomando programas sociais como o “Cidade Escola”, tido por ele na gestão passada como um de suas principais ações. A retomada de incentivos ao Restaurante Popular, que chegou a suspender o seu funcionamento durante o governo de Maurílio Peloso, também deve integrar uma das prioridades do próximo governo. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.