Postado em terça-feira, 21 de agosto de 2018 às 09:02

Os sete estilos universais: Descubra o(s) seu(s)

Muita gente quer descobrir o seu estilo, mas o que a maioria não sabe é que é super normal a gente ter (ou se identificar) com mais de um estilo. E você? Sabe qual o(s) seu(s)? Se não, eu te ajudo!


 Nesse texto vou falar dos sete estilos universais: clássico/tradicional, criativo, elegante, esportivo/natural, moderno/dramático, romântico e sexy. Eu tenho um pouco de cada, e como trabalho com moda, posso misturar elementos de todos eles num look só tanto no meu dia a dia quanto para trabalhar, já que não preciso obedecer a nenhum dress code. YAY!!

O que define o(s) nosso(s) estilo são as escolhas que fazemos baseadas em nossas prioridades e com os papéis diferentes que ocupamos simultaneamente durante a vida, porque cada um deles exige uma sensação e uma imagem diferentes. É super normal querer parecer elegante no trabalho e sexy fora dele, por exemplo.

Quando uma cliente da consultoria de estilo se identifica com mais de um estilo, é super natural que ela tenha peças de estilos diferentes e misture esses elementos num mesmo look, para que fique com a sua cara (principalmente se o estilo dela for criativo), mas outros são mais rígidos, como o clássico/tradicional, e essas misturas são mais limitadas.

Vamos conhecer um pouco de cada um deles:


Clássico/tradicional

É um estilo que passa a imagem de uma mulher mais conservadora e formal. As peças têm linhas retas e poucos detalhes, tudo mais estruturado, fechado e composto (nada de decotes!), e em cores neutras – de preferência preto, branco, cinza, bege e marinho.

Quem tem esse estilo não gosta de modismo e não costuma se arriscar com peças diferentes, coloridas ou que chamem muita atenção. Quando uma mulher clássica / tradicional usa estampas, ela prefere as discretas e clássicas como risca de giz, listras, xadrez e pied-de-poile. Seus acessórios também são clássicos: bolsas estruturadas, colares fininhos ou de pérolas, sapatos de salto médio, sapatilhas e scarpins.



Criativo

É o estilo de quem gosta de experimentar e arriscar mais na hora de se vestir. É o estilo que permite passear por todos os outros, porque pode – e sabe – misturar muito bem: cores, estampas, texturas, comprimentos, sobreposições…

É um look que junta tudo-ao-mesmo-tempo-agora e ainda assim fica harmônico: É aquela pessoa que usa uma peça da moda com uma peça vintage, que ousa no tamanho, cor e estilo dos acessórios, ou um sapato diferente, e se você perguntar onde ela comprou alguma peça, essa mulher provavelmente vai além do nome da loja. Cada peça tem uma história e um sentido que ela adora contar.



Elegante

Muita gente se refere a alguém que tem o estilo clássico/tradicional como elegante, mas os dois estilos são bem diferentes (apesar de o estilo clássico/tradicional ser elegante). Explico: Estar elegante é diferente de ser elegante.

Todo mundo pode se sentir elegante no sentido de “chique/arrumada/sofisticada”, quando se veste parecida com o estilo clássico/tradicional. Já a pessoa que é do estilo elegante (visualmente mesmo, sem ter a ver com postura e comportamento — que também são coisas diferentes!), pode estar usando calça jeans e camiseta e “carregar o look” com a sofisticação de quem está usando um vestido fino e caríssimo, sabe como? Essa elegância tem a ver com impecabilidade, com “cara de coisa boa”, independente do que ela está usando.

Essa ‘elegância natural’ que algumas mulheres têm não é algo que se compre, mas é possível a gente aprender algumas lições pra conseguir transmitir uma imagem mais “elevada” quando quiser ou precisar:

  • Coordenações monocromáticas alongam a silhueta e deixam a gente mais fina (nos dois sentidos);
  • Tom sobre tom: mesma cor em tons diferente ou cores diferentes no mesmo tom (tudo claro ou tudo escuro);
  • Investir em peças de qualidade, que tenham bom acabamento e caimento e sejam de tecidos mais nobres (os naturais são os melhores: linho, lã, seda e algodão);
  • Nos acessórios, adote os clássicos com moderação, para não ficar tão careta.

 


Esportivo/natural

O estilo esportivo/natural transmite uma imagem leve e despretensiosa, e é o favorito da pessoa que prioriza o conforto, praticidade e simplicidade na hora de vestir. Dá preferência por peças feitas de tecidos naturais, com modelagens básicas e caimentos mais soltos (não usa nada apertando ou muito justo no corpo) que tenham um toque agradável. Os acessórios são simples e aliam beleza e funcionalidade, como bolsa a tiracolo, que deixam as mãos livres para se movimentar melhor, ou mochilas. Nos pés, prefere sapatos confortáveis, baixos ou com saltos médios e grossos.

Moderno/Dramático

A mulher que se identifica pelo estilo moderno/dramático está sempre muito elegante (de novo!!), mas de uma forma mais ousada, transmitindo uma imagem forte e cosmopolita ao mesmo tempo, misturando peças com referência no guarda-roupas masculino com itens da moda.

Não é uma pessoa muito colorida (adora looks total black), mas também gosta de usar cores contrastantes e fortes (nada de tons pastéis): preto e branco, roxo com rosa, marinho com nude e por aí vai. É minimalista, e gosta de poucos acessórios (porém marcantes e de design), deixando a atenção do look para as formas mais estruturadas, assimétricas e geométricas, modelagens diferenciadas, fendas, pontas… Se usar brilho, vai preferir um sapato metalizado a usar uma peça de paetês, por exemplo.



Romântico

Quem tem um estilo romântico prefere cores claras, nudes e tons pastéis (rosinha, azulzinho, verdinho, amarelinho…), peças com detalhes femininos e delicados como laços, rendas, bordados e babadinhos, estampas florais, tecidos fluidos, vestidos e saias rodadas, cintura marcada, mangas bufantes, sapatos com bicos arrendados (mary janes, sapatilhas), bolsas molinhas e acessórios delicados. Transmite a imagem de alguém doce, feminina e no ambiente de trabalho esses elementos podem fazer parecer uma mulher muito frágil.



Sexy

A mulher sexy gosta de atrair os olhares, por isso abusa de cores fortes, estampas de animal print, transparências, decotes, ombros à mostra, comprimento mini, maxi acessórios, saltos altos e finos, sandálias abertas de tiras… mas não precisa usar “tudo ao mesmo tempo agora”.

Dá pra ser sexy sem ser vulgar, e muitas mulheres têm medo de confessar aos outros – e a si mesma – que querem atrair os olhares, e acabam deixando essa prioridade de lado e se sentindo infeliz, justamente por não saber como parecer sexy na medida ou não saber, como dizem as minhas professoras da Oficina de Estilo, transparecer a sensualidade muito mais nos detalhes do que nas obviedades, por não saber mostrar a pele e as curvas, mas de um jeito que não escancare.







Fonte:Vestindoautoestima



Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Ok, eu aceito