Postado em 8 de março de 2019

A indústria da obesidade e doença

Autor: Marcela Ávila Correia

 Vivemos em uma sociedade ansiosa e com modismos alimentares desmedidos, a cada dia uma nova dieta ou uma nova verdade, embasada em lucros financeiros para a indústria.

O princípio de ouvir a mensagem enviada pelo próprio corpo se tornou obsoleto, vivemos de normas propostas pela sociedade como: É necessário comer a cada três horas, devemos consumir leite de caixinha, margarina é mais saudável que manteiga, óleo vegetal faz bem para a saúde, entre tantas outras normal criadas pela indústria para induzir o consumismo e deixar as pessoas cada vez mais doentes e ansiosas.

A natureza é sabia e nos dá tudo o que precisamos para uma sobrevivência saudável: Carboidratos dos legumes, raízes e grãos. Proteínas dos ovos e carnes e leites e gorduras de frutas como abacate e coco além da gordura animal que existe na gema dos ovos, carnes e peixes e dos vegetais e oleaginosas (como milho, amendoim, castanhas e nozes).Além da diversidades de cores das hortaliças e frutas que cada uma representa uma fonte de vitamina diferente e necessária ao nosso corpo.

Então porque adoecemos e nos tornamos cada dia mais obesos? Quantas novas dietas, quantos produtos alimentícios prometendo saúde e o que vemos é uma sociedade cada vez mais doente, segundo dados atualizados do Ministério da Saúde, a obesidade atinge quase 20% da população brasileira e o sobrepeso atinge mais da metade da população 54% e com esses dados a realidade do aumento dos casos de diabetes melito, hipertensão, doenças cardiovasculares e câncer. Não por acaso essa realidade vai de encontro com pessoas cada vez mais consumistas e fieis aos produtos alimentícios como margarina, óleo vegetal, leites de caixinha, bolachas e biscoitos ricos em gordura hidrogenada e refrigerantes, incluindo os famosos produtos diet e light, que, de saudáveis, não têm nada.

Você já parou para pensar como são suas compras?

O que você coloca no seu carrinho de compras?

O que você esta comendo esta te nutrindo ou te destruindo?

A escolha é sempre particular, porem devemos estar atentos se estamos sendo levados por uma massa que impõe padrões falsos ou se estamos cuidando do nosso bem mais precioso a saúde.

Para os que valorizam a saúde, fiquem atentos a lista de ingredientes dos produtos que você consome, procure consumir “comida de verdade”, o que a natureza nos oferece e respeite as mensagens do seu corpo, comer quando sentir fome, a individualidade é o segredo.

Usar sempre o princípio de descascar mais e desembalar menos é o primeiro passo para fugir da obesidade e consequentemente das doenças.

Se você é parte da estatística de sobrepeso e obesidade citada, procure um profissional para te orientar e cuide-se!

Fonte: Revista de Saúde Pública 2018

Marcela Ávila Correia
Nutricionista CRN9 12297
Especialista em Emagrecimento e Cirurgia Bariátrica...

https://www.instagram.com/nutrimarcelaavila/