Postado em quarta-feira, 24 de outubro de 2018 às 08:50

Atlético tenta evitar marca negativa que não ocorre desde 2010

Ataque pode chegar a quatro jogos consecutivos sem balançar as redes...


 O jejum de três jogos sem balançar as redes é algo que o torcedor do Atlético não está acostumado a ver. Nos últimos anos, a força ofensiva foi a marca do alvinegro. No entanto, o time vive uma sequência que incomoda e pode ficar pior, caso o time não faça gols contra o Ceará, na próxima segunda-feira, em Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro. Há mais de oito anos o time não fica quatro jogos seguidos sem marcar.

Depois da goleada por 5 a 2 sobre o Sport, no Independência, o Atlético não conseguiu mais balançar as redes: foram duas derrotas, para Chapecoense e Fluminense, ambas fora de casa e por 1 a 0, e um empate sem gols com o América, no Independência. Por causa do jejum, o Galo deixou de ter o melhor ataque do Campeonato Brasileiro, sendo ultrapassado pelo Flamengo, que marcou 48 vezes, uma a mais do que o alvinegro.

Se não marcar contra o Ceará, o Atlético vai igualar uma série que ocorreu em 2010. Naquela ocasião, o Galo, comandado por Vanderlei Luxemburgo, ficou quatro partidas sem marcar. A sequência começou com um empate com o Avaí, fora de casa; depois uma derrota para o Cruzeiro (1 a 0), na Arena do Jacaré; empate com o Grêmio Prudente, fora de casa, pela Copa Sul-Americana; e derrota para o Botafogo por 3 a 0, no Rio de Janeiro.

Depois dessa sequência de quatro partidas, o Atlético teve, duas vezes, séries de três partidas sem balançar as redes. A primeira foi em 2014, com o técnico Paulo Autuori, e a segunda em 2017, com Rogério Micale no comando.

A esperança atleticana para quebrar essa série é Ricardo Oliveira. O atacante não vive boa fase no returno do Campeonato Brasileiro. Em 10 partidas nessa fase da competição, ele só marcou duas vezes. O jogador vem sendo cobrado para melhorar o rendimento. Há duas semanas, ele ressaltou que está satisfeito com os números no ano (20 gols e seis assistências), mas que gostaria de ver o time em melhor situação coletiva.

“Estou muito satisfeito pela participação e pelos números de jogos, pelos gols, pelas assistências, pela participação direta nos gols do time. Mas gostaria que coletivamente estivéssemos em melhor posição. Vou ser cobrado por isso. O número 9 no Brasil é cobrado por gols. Vou dar o melhor pra fazer mais. Que os gols ajudem a conseguir melhor posição dentro da competição, mas não posso deixar de valorizar estes números. Sempre vou buscar dar meu melhor e brigar em qualquer ponta que eu esteja, seja coletiva ou individual. O que mais me instiga é conseguir engrenar nestes últimos 10 jogos e conseguir o coletivo, que é o mais importante agora”, disse.

Voltar a marcar e, consequentemente, vencer, é meta do Atlético, que vê o Santos se aproximar no Campeonato Brasileiro. O time paulista está três pontos atrás do Galo e esquentou de vez a briga pela vaga na Copa Libertadores.

Série de quatro jogos sem marcar

2010


24/07 - Avaí 0 x 0 Atlético - Campeonato Brasileiro
01/08 - Atlético 0 x 1 Cruzeiro - Campeonato Brasileiro
04/08 - Grêmio Prudente 0 x 0 Atlético - Copa Sul-Americana
07/08 - Botafogo 3 x 0 Atlético - Campeonato Brasileiro

Sequências de três jogos sem marcar

2018

06/10 - Chapecoense 1 x 0 Atlético - Campeonato Brasileiro
14/10 - Atlético 0 x 0 América - Campeonato Brasileiro
21/10 - Fluminense 1 x 0 Atlético - Campeonato Brasileiro

2017

02/08 - Atlético 0 x 2 Corinthians - Campeonato Brasileiro
06/08 - Grêmio 2 x 0 Atlético - Campeonato Brasileiro
09/08 - Atlético 0 x 0 Jorge Wilstermann - Copa Libertadores

2014

13/04 - Cruzeiro 0 x 0 Atlético - Decisão do Campeonato Mineiro
20/04 - Atlético 0 x 0 Corinthians - Campeonato Brasileiro
23/04 - Atlético Nacional-COL 1 x 0 Atlético - Copa Libertadores



Fonte:Superesporte