Postado em 11 de abril de 2021

Notas de Brasília, de 11 de março de 2.021

Autor(a): Humberto Azevedo

Agricultura
A nova presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR) da Câmara dos Deputados é a deputada paranaense Aline Sleutjes (PSL). Aliada de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a parlamentar prometeu fazer do colegiado uma instituição parceira do agronegócio e da ministra responsável pelo setor agrícola, Tereza Cristina (DEM-MS).

Meio Ambiente

Acusada por ambientalistas de ser favorável em querer “tratorar” e diminuir as atuais legislações ambientais, que seriam empecilhos para o desenvolvimento rural, a deputada Aline Sleutjes afirmou que vai “assegurar que o meio ambiente e o agronegócio andem juntos” e que vai trabalhar em perfeita sintonia com a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), também aliada de Bolsonaro de primeira hora, eleita presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS).

Da terra do leite

A nova dirigente da comissão mais antiga do parlamento brasileiro, criada em 1.824, Sleutjes tem 31 anos, é formada em Educação Física e natural de Castro, um município de 70 mil habitantes distante aproximadamente 150 quilômetros da capital paranaense, Curitiba, e que é conhecida como a “cidade do leite”, devido a região onde se encontra ser considerada a principal região produtora de laticínios onde se situam empresas do ramo como a Batavo. Antes de se eleger deputada federal em 2.018, a parlamentar ruralista do PSL foi vereadora em sua cidade natal entre 2.005 e 2.008, e 2.013 e 2.016 pelo PSDB e PSDC e, desde o início, iniciou sua carreira pública com o apoio do sindicato rural dos proprietários rurais, da qual sua família é uma das filiadas.

Ciência e Tecnologia

Outro colegiado temático permanente da Câmara dos Deputados importante para Santa Rita do Sapucaí (MG), considerada como o “vale do silício” das alterosas, a Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CTCI) também está de presidente novo. O parlamentar que assumirá o colegiado que cuida da tramitação de matérias que versam sobre inovação é o deputado Aliel Machado (PSB-PR), que se encontra no segundo mandato de deputado federal. Entre 2.015 e 2.016, Aliel foi filiado a Rede Sustentabilidade. Seu objetivo a frente da CTCI é fazer com que o órgão acelere a aprovação de matérias que auxiliem o setor científico a ajudar o país a superar a pandemia do novo coronavírus (covid-19), que já matou mais de 273 mil brasileiros, tanto na fabricação de novas vacinas, quanto na geração de emprego e renda.

Mineiros

Os deputados mineiros que participam da CAPADR são Charles Evangelista (PSL), Domingos Sálvio (PSDB), Emidinho Madeira (PSB), Franco Cartafina (PP), Mário Heringer (PDT), Padre João (PT), Vilson da Fetaemg (PSB), Zé Silva (Solidariedade) e Zé Vítor (PL). Já os parlamentares mineiros que fazem parte da CTCI são Bilac Pinto (DEM), Gilberto Abramo (Republicanos), Júnio Amaral (PSL) e Paulo Abi-Ackel (PSDB).

A volta de Aécio

Desde que foi tragado no noticiário da Lava Jato, em 2.017, acusado de participar de diversas irregularidades apontadas pelos procuradores do Ministério Público Federal (MPF) e desistir da disputa de cargos mais altos como para presidente, governador e senador, Aécio Neves (PSDB-MG) estará de volta ao noticiário que não seja policial, ou investigativo. Eleito deputado federal em 2.018 com um pouco mais de 200 mil votos, o neto de Tancredo Neves, foi escolhido por um grande acordo que envolveu o seu partido, o PP do atual presidente da Câmara, Arthur Lira (AL), e o PSL que elegeu Bolsonaro, para ser o novo presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN).

A volta da diplomacia

O retorno de Aécio Neves a cena política brasileira acontece em meio também a volta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao jogo político do país, após a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, de anular todas as condenações que o petista recebeu do ex-juiz federal, Sérgio Moro, por elas não terem sido o fórum adequado para os julgamentos. Aécio sucederá no comando da CREDN o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do atual presidente brasileiro, que se despediu do cargo voltando de Israel, onde foi reprimido por não usar máscara de proteção facial contra o covid, e que questionado por internautas, mandou os brasileiros enfiarem as “máscaras no rabo”.



** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Alfenas Hoje

Humberto Azevedo
Jornalista e consultor político
Humberto Azevedo é jornalista profissional, repórter free lancer, consultor político, pedagogo com especialização em docência do ensino superior, além de professor universitário, em Brasília (DF).

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa

Estou de acordo