Postado em terça-feira, 29 de maio de 2018 às 13:01

Guitarrista de Alfenas lança financiamento coletivo para finalizar álbum

Fredera gravou com Raul Seixas e com outros grandes nomes da MPB, como Caetano Veloso, Gonzaguinha, Milton Nascimento, Gilberto Gil e Gal Costa.


Da Redação

O guitarrista, compositor e artista plástico Fredera lança o terceiro e mais recente disco solo de sua carreira, coroação de seu trabalho como instrumentista e pensador musical. O artista, que reside em Alfenas, construiu sua carreira gravando ao lado de grandes nomes da música brasileira, como Raul Seixas, Caetano Veloso, Gonzaguinha, Milton Nascimento, entre outros.

Depois de Aurora Vermelha, aclamado disco de 1981, e Fredera e Nenê, gravado ao vivo pelo Tom Brasil em 1995, o músico apresenta o álbum Balada a um Anjo na Terra - Iris Blues. Gravado entre 2014 e 2018 em Alfenas e Belo Horizonte, a obra terá tiragem de 300 exemplares em CD e 100 exemplares em vinil, para o que lança campanha de financiamento na plataforma Kickante para finalização e prensagem do material até o dia 06 de junho.

Os exemplares serão disponibilizados apenas para aqueles que contribuírem por meio do financiamento coletivo, uma vez que o disco não será comercializado e nem estará disponível em plataformas de streaming, tornando-o um trabalho único e especial, assim como a obra e o pensamento do artista.

Tido como projeto derradeiro pelo guitarrista, o trabalho é fruto de um longo processo de produção e gravações nas cidades de Alfenas, onde o artista reside, e Belo Horizonte. Desta forma, o álbum conta tanto com participações de destaque no cenário nacional (Chico Amaral, Enéas Xavier, André Limão, Beto Lopes, Marilton Borges) quanto de alunos da oficina de guitarra e baixo ministrada por Fredera em Alfenas desde 2006, além do grupo Compasso Lunnar (Clayton Prósperi, Ismael Tiso, Fernando Machetti e Paulo Francisco Tutuca), com quem tem se apresentado regularmente desde 2016.

O músico reside em Alfenas onde ministra uma oficina de guitarra no Centro Municipal de Música (Foto: Danielle Terra)


O disco traz composições inéditas que transcendem a estrutura convencional, numa concepção que dialoga tanto com o jazz quanto com a música erudita, além de blues dedicados a entes queridos, incorporando o acento de distorção que marcou o nome do artista desde sua fase roqueira com o Som Imaginário e passagens ao lado de nomes como Milton Nascimento, Gonzaguinha e Raul Seixas.

Em proposta original na música instrumental contemporânea, o disco mantém organicidade com temas que vão de blues jazzísticos que exploram a verve e o virtuosismo proporcionados pelo gênero (como em Blues for Mr. Rosa, Divertículos nº 1 e 2, Iris Blues e C.A.P. Blues) a temas de grande lirismo em paisagens sonoras oníricas (como em A última balada e Iris adagio), além de faixas de caráter surreal e em diálogo com a literatura brasileira moderna (A Saga de J.U.), levando a guitarra a um novo patamar de inventividade e discurso.

"Seja através de composições, arranjos ou solos, o trabalho busca um entendimento com o plano espiritual no fazer musical que revela o aprofundamento da pesquisa musical e a trajetória pessoal que encarei nos últimos anos", afirma Fredera.

"Balada um anjo na terra – Iris blues" é uma homenagem a Iris Rosa de Oliveira, filha do compositor, falecida em 2015 aos 24 anos de idade, durante os trabalhos de gravação do disco.

O artista conta com a colaboração coletiva para finalizar esse trabalho, que ficará para a posteridade como obra diferenciada na música instrumental brasileira.

Sobre Fredera

Frederico Mendonça de Oliveira, o Fredera, é músico, compositor, com trabalhos solo de reconhecimento internacional e trabalhos ao lado de artistas de renome na música brasileira. Considerado um dos maiores guitarristas brasileiros, o carioca nascido em 1945 é também artista plástico, escritor e professor em Alfenas, onde reside desde 1984.

Fredera Iniciou sua carreira profissional em 1968 no Rio de Janeiro, tendo integrado, junto a instrumentistas consagrados como Raul de Souza, Vítor Manga, Márcio Montarroyos e Yon Muniz o grupo Pila 7, que acompanhava a Turma da Pilantragem e, posteriormente, o lendário grupo Som Imaginário, participando ainda do Clube da Esquina.

Com o Som Imaginário, o músico acompanhou Milton Nascimento no disco Milton, de 1970, e nos shows desta fase, e ainda a cantora Gal Costa em shows e discos. Participou de vários discos e shows nacionais e internacionais.

Ao longo das décadas de 1970 e 1980, Fredera acompanhou e gravou com artistas como Gonzaguinha, Ivan Lins, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Raul Seixas, Gal Costa, João Donato, Fafá de Belém, Luiz Melodia e Marcos Valle. Em 1981, lançou seu primeiro trabalho solo, o LP Aurora vermelha (Som da Gente).

É autor dos livros O Crime contra Tenório (1996) e Luís Gonzaga Jr. – A paixão da conquista (2010). Desde 2008 ministra uma oficina de guitarra no Centro Municipal de Música de Alfenas, tendo formado inúmeros instrumentistas, para os quais desvendou os conteúdos jazzísticos, tendo já projetado discípulos no cenário nacional.


Serviço:

Campanha de Financiamento coletivo para finalização do disco "Iris Blues" - guitarrista Fredera
Prazo: até 06 de junho
link de acesso:
https://www.kickante.com.br/campanhas/iris-blues-finalizacao-do-cd
Mais informações: ixaveiga@gmail.com

NOTÍCIAS RELACIONADAS


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.