Postado em segunda-feira, 11 de setembro de 2017 às 09:47

Com participação de 30 instituições, Liga Universitária cresce junto com os e-Sports no Brasil

Um dos maiores campeonatos universitários de games do Brasil, a Liga Universitária de e-Sports (LUE) chega ao fim neste domingo (11). Segundo a organização, o torneio reuniu 30 instituições de cinco estados diferentes, com 310 jogadores inscritos.

A liga é realizada no Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel) desde a primeira edição, quando foi idealizada por alunos da instituição. Assim como o cenário de games, que vem crescendo no país, com transmissões ao vivo em canais de TV e jogos realizados até em grandes ginásios - a final do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLol), por exemplo, foi realizada no Mineirinho -, a competição também vem atraindo cada vez mais gente.

"Cresceu bastante a procura do pessoal querendo participar, principalmente pelo alcance que teve a primeira edição. Ai o pessoal que não conhecia, começou a alcançar mais universidades. O pessoal gostou muito de participar de uma competição presencial, então muita gente veio procurar a gente para a ediçao desse ano", conta Filipe Campos, organizador da liga.

A disputa vem acontecendo ao longo dos últimos meses, com eliminatórias online. Os times classificados chegaram ao evento presencial, neste fim de semana. As partidas finais dos games serão transmitidas ao vivo no Teatro do Inatel, com direito a narrador e até comentarista.

A LUE está sendo disputada em paralelo com o festival Hack Town, que está sendo realizado na cidade. Segundo Campos, a data foi definida em parceria com os organizadores do evento, que viram uma maneira de aproximarem os dois públicos.

"O Hack Town já estava com essa data. Aí depois, quando a gente viu que era uma data boa para a gente fazer também, eu fui, conversei com os organizadores para saber se era algo que atrapalharia eles. Aí a gente viu que seria algo que complementaria um ao outro. Foi algo que agregou", explica.

A LUE conta com quatro modalidades em disputa:

League of Legends (LoL)

Game mais disputado competitivamente no Brasil, o LoL é também uma das principais atrações da LUE. O jogo ganhou tanta fama no Brasil, que até Galvão Bueno já narrou uma jogada uma jogada. Foram inscritas 17 equipes, compostas por até oito competidores e dois membros na comissão técnica. A plataforma de disputa é o PC.
Cou

nter Strike: Global Ofensive (CS:GO)

CS é um jogos responsáveis pelo crescimento dos e-Sports no Brasil, ainda na época das lan houses, quando grupos de amigos se reuniam para a realização dos famosos corujões (passar a madrugada jogando). Na LUE, foram inscritas 8 equipes, também formadas por até oito competidores e dois membros de comissão técnica. A plataforma de disputa é o PC.

FIFA 17

FIFA quase dispensa apresentações. É um dos games de futebol mais famosos do mundo - ao lado do Pro Evolution Soccer (PES) -, e atrai cada vez mais até equipes profissionais de futebol. Na competição, 13 jogadores foram inscritos com direito a um técnico, em jogos disputados em consoles.

Clash Royale

Talves o jogo menos conhecido da liga, Clash Royale é o único disputado em dispositivos mobile (celulares e tablets). Em batalhas um contra um, exige muito raciocínio e estratégia dos jogadores durante a disputa. São oito competidores, que têm direito também a um membro cada na comissão técnica.

Rivalidade

Com tanta coisa acontecendo, teve equipe que quis até se adiantar e chegar mais cedo. Tudo para não sair atrás na disputa.

"Teve o pessoal que veio do Rio de Janeiro. Eles pediram para chegar um dia antes para ficarem descansados para o campeonato, até pediram para a gente se podiam usar o laboratório para já ir treinando", conta Campos.
As brincadeiras e provocações, típicas de outros esportes, aos poucos também estão passando a fazer parte do mundo dos e-sports universitários. Segundo o organizador, tudo com muito bom humor.

"Essa rivalidade está ficando legal. É um negócio que, por exemplo, já acontecia bastante com o Inatel e a Unifei em outros esportes, e agora está ficando também no esporte eletrônico. Então aquelas famosas farpas que o pessoal troca, agora já está acontecendo bastante, entre Inatel e Unifei, pessoal da UFMG e Unicamp também. A gente tem até um grupo de conversa de universitários que jogam no Brasil, e tem muita gente, e lá o pessoal sempre troca comentários", diz.

Rafael Stacla é aluno de engenharia de computação na Universidade de Campinas (Unicamp) e não esconde o desejo de vencer a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) especialmente nas finais do LOL, onde a instituição mineira é a atual campeã da LUE.

"É muito bom aquele grupo. A gente fica se zuando, xingando um ao outro, mas é tudo na sacanagem. A gente brinca principalmente com o pessoal da UFMG, a gente tem uma richa bem legal com eles", conta o estudante.

"A experiência da LUE é, tipo, eu me encaixo muito mais, porque é o meu mundo, o mundo de esportes eletrônicos. Então é uma experiência de imersão muito grande. Você estar aqui para jogar, para torcer, para curtir o cenário, é de uma maneira que você não consegue fazer em campeonatos online. Você não tem essa mesma experiência", conclui Rafael.
 

 

Fonte: G1 Sul de Minas

















Alfenas Hoje - Jornalismo com responsabilidade
Copyright © 2007 - 2017 - Todos os direitos reservados

Adapt Soluções e Treinamentos