Postado em terça-feira, 21 de junho de 2016 às 15:20

Servidores da Delegacia de Alfenas aderem a greve da Polícia Civil de Minas Gerais

Os servidores da Polícia Civil em Alfenas aderiram a greve deflagrada em todo o Estado na segunda-feira.


Alessandro Emergente

Os servidores da Polícia Civil em Alfenas aderiram a greve deflagrada em todo o Estado na segunda-feira. A informação sobre a adesão dos servidores da 2ª Delegacia Regional da Polícia Civil (DRPC) foi confirmada nesta terça-feira em uma nota divulgada pelo delegado Márcio Bijalon.

Segundo Bijalon, durante o período de greve, serão atendidos somente os casos de urgência como prisões em flagrante e ocorrências envolvendo a Lei Maria da Penha, além de TCOs (Termo Circunstanciado de Ocorrência), que são registros de ocorrências de menor gravidade.

O movimento grevista mantém 30% de funcionamento nas delegacias, o que corresponde ao percentual mínimo de atendimento durante as paralisações. Esse percentual mínimo é exigido pela legislação para não deixar a população sem os serviços emergenciais.

Segundo a chefia da Polícia Civil, durante o movimento grevista é “obrigatória a manutenção de serviços essenciais, especialmente o recebimento de todos os casos de flagrante e TCO, devendo ser observados os milites legais existentes para este tipo de movimento”, diz a corporação em nota.

Reivindicações

A categoria exige equiparação dos salários de investigadores e escrivães aos vencimentos dos peritos, além da equiparação dos valores recebidos por delegados aos valores dos defensores públicos. Outra questão importante levantada pelos sindicalistas é o não pagamento do auxílio vestimenta, que deveria ter sido pago na folha de abril. Porém, isso ainda não aconteceu, enquanto os policiais militares já receberam o mesmo benefício.

Segundo Bijalon, desde o início do atual governo, a categoria vem pleiteando as reivindicações, mas sem sucesso. Ele cita ainda a necessidade de tratamento isonômico com a Polícia Militar, uma vez que o governo pagou o auxílio de vestimenta para os PMs e deixou de fora os policiais civis.

O parcelamento dos salários, investimentos nas delegacias e recomposição dos quadros de funcionários também integram a pauta de reivindicações, segundo o delegado.

No Sul de Minas, as delegacias de Varginha, Guaxupé, Três Corações, Andradas, Boa Esperança, Alpinópolis, Poços de Caldas e Lavras também já informaram a adesão ao movimento.

A Polícia Civil de Alfenas aderiu a greve estadual deflagrada na segunda-feira (Foto: Divulgação)

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Caracteres Restantes 500

Termos e Condições para postagens de Comentários


COMENTÁRIOS

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.